Crianças podem ser influenciada por Satanás?

O mundo jaz no maligno e isso inclui as crianças. As crianças são pecadoras porque nascem assim (o pecado é uma herança). Ainda que o pecado que existe nelas não tenha produzido “pecados” enquanto elas são pequenos e indefesos bebês, logo começarão a aparecer as evidências de que elas pertencem a uma raça caída. Se não fosse assim, bebês não adoeceriam, pois a doença é uma das consequências do pecado.

1Jo 5:19 Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.

É sempre bom lembrar que Hitler, Sadam, Aníbal, Bin Laden, Nero, Gengis Khan e tantos outros facínoras da história devem ter sido bebezinhos adoráveis, que eu e você teríamos carregado no colo e achado que eles jamais seriam capazes de fazer mal a uma mosca. Pode ser que neste exato momento um bebezinho esteja sorrindo para seus pais encantados com ele e que esse mesmo bebê irá crescer e ser o anticristo.

Portanto, quando dizemos que tudo está arruinado pelo pecado, é tudo mesmo, inclusive as crianças. Você já pode detectar o espírito voluntarioso de uma criança quando tenta dar a mão a ela para atravessar a rua e ela quer fazer do jeito dela. O pecado foi isso: querer viver independente de alguém superior. Até os animais, que nunca pecaram, ficaram sob a mesma maldição do pecado e sofrem por causa de nós.

Rom 8:19-23 Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.

Mas sua dúvida é se Satanás pode influenciar ou até mesmo usar uma criança para seus propósitos. Leia esta passagem:

2Rs 2:23-24 Então [Eliseu] subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, e diziam-lhe: Sobe, calvo; sobe, calvo! E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do SENHOR; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos.

Certamente por detrás daqueles meninos que zombavam do profeta de Deus estava o inimigo de nossas almas. Aparentemente a frase “Sobe calvo!” tem a ver com o profeta Elias, que subiu arrebatado aos céus, enquanto Eliseu ficou (veja o versículo 11). Isto poderia significar que Eliseu seria um profeta de menor capacidade que Elias e os meninos estariam zombando dele por esta razão. A passagem impressiona, mas creio que Deus quis mostrar que quem zomba de um servo dEle está zombando do próprio Deus.

Mat 25:45 Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos [aqui ele está falando dos judeus fiéis que o seguirão durante a tribulação) o não fizestes, não o fizestes a mim.

Na passagem de Atos 16 não sabemos a idade da “jovem”, mas ela estava possessa de um espírito imundo. No grego a palavra é no sentido de “menina” e algumas traduções estão assim.

Ats 16:16 E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.

Estas passagens também falam de um menino e uma menina possessos de espíritos malignos:

Mar 9:20-21 E trouxeram-lho; e quando ele o viu, logo o espírito o agitou com violência, e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, escumando. E perguntou ao pai dele: Quanto tempo há que lhe sucede isto? E ele disse-lhe: Desde a infância.

Mar 7:26 E esta mulher era grega, sirofenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio.

Talvez alguém diga que é cruel Deus permitir que essas coisas aconteçam com crianças, mas não podemos nos esquecer de que este mundo é aquele do qual os homens expulsaram o Filho de Deus. Se havia alguma dúvida quanto à inimizade dos homens contra Deus, e sua preferência em seguir o pecado e Satanás, isso ficou muito claro no Calvário.

O homem pecador é alguém que um dia foi uma criança aparentemente inocente, mas ninguém nasce inocente, pois inocência foi uma característica apenas de Adão antes da queda. Se alguém alegar que Deus é cruel ao permitir que o mal aconteça às crianças, não devemos nos esquecer do modo como a humanidade trata seus filhos.

Eze 5:10 Portanto os pais comerão a seus filhos no meio de ti, e os filhos comerão a seus pais; e executarei em ti juízos, e tudo o que restar de ti, espalharei a todos os ventos.

2Rs 6:28-29 Disse-lhe mais o rei: Que tens? E disse ela: Esta mulher me disse: Dá cá o teu filho, para que hoje o comamos, e amanhã comeremos o meu filho. Cozemos, pois, o meu filho, e o comemos; mas dizendo-lhe eu ao outro dia: Dá cá o teu filho, para que o comamos; escondeu o seu filho.

É de surpreender que Deus tenha de agir com terríveis juízos, como fez com os meninos que zombavam de Eliseu, para com os terríveis seres humanos que preferiram viver em rebeldia? É sempre bom lembrar que se o pecado nunca tivesse entrado na criação, Deus nunca precisaria ter agido com seus terríveis juízos. Ou seja, nós somos os causadores do modo severo como Deus é obrigado a agir com sua criação.

O diabo tem suas maneiras de influenciar as crianças, e não precisa necessariamente enviar seus espíritos malignos para possuí-las. O método que mais usa é incutir a mentira em suas mentes para que elas cresçam “programadas” para gostar do ocultismo, e os pais têm uma grande parcela de responsabilidade nisso. Não é à toa que hoje livros e filmes de bruxos (Harry Potter) e vampiros (Crepúsculo) façam tanto sucesso entre crianças e adolescentes.

Se observar os desenhos animados para criancinhas procuram mostrar que o dragão é um ser camarada e não faz mal a ninguém. Como explicar para uma criança que vive assistindo vídeos e lendo livros e colorindo desenhos de dragões que Satanás na Bíblia é chamado de dragão? Na cabeça dela, se o dragão é bom então o diabo não pode ser mau! Percebe a sutileza do ataque? Apenas no Apocalipse o diabo é chamado de “Dragão” 12 vezes.

Apo_12:3  E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. 
Apo_12:4  E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. 
Apo_12:7  E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos
Apo_12:9  E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. 
Apo_12:13  E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem. 
Apo_12:16  E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. 
Apo_12:17  E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo. 
Apo_13:2  E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. 
Apo_13:4  E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? 
Apo_13:11  E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão
Apo_16:13  E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. 
Apo_20:2  Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. 

Numa pesquisa no site da Amazon descobri que existem centenas de livros para crianças com histórias de dragões e na quase totalidade das histórias o dragão não é mau como as pessoas pensam, mas ele só quer ajudar as criancinhas. Então, respondendo mais uma vez sua pergunta se “O diabo pode influenciar as crianças?”, a resposta é sim, e aqueles que são pais facilitam o trabalho de Satanás quando não têm cuidado com aquilo que escolhem para seus filhos lerem ou assistirem.

“não se introduz uma pessoa que não se arrependeu no meio Cristão. Para participar do corpo de Cristo é necessário arrependimento (e pra isso precisa crer), e, portanto, o fato de batizar uma criança não a insere no corpo de Cristo”.

É preciso entender que o “meio cristão” não significa exatamente salvação. Uma pessoa que professe ser cristão e tenha sido batizada está no “meio cristão”, ou cristandade. Você não pode questionar isso. Ainda que seja joio no meio do trigo, não é o homem quem determina quem é joio e quem é trigo. O Senhor conhece os que são seus. Você não pode chamar alguém assim de pagão, pois é um cristão no sentido exterior da palavra.

Todavia, mesmo que uma pessoa seja cristã nominal, batizada, professante, praticante etc. ela pode nunca ter sido salva pela fé no sangue de Jesus. Não há salvação no batismo ou na mera profissão (de boca). A salvação é só pela fé no Senhor Jesus e no Seu sangue derramado para expiação de nossos pecados. O batismo só salva no sentido de separação (algo parecido com a “santificação” de 1 Co 7:14), mas não no sentido de salvação da alma eternamente. Assim, mesmo que alguém seja batizado, seja membro de uma “igreja” no sentido de denominação religiosa (o que não tem respaldo bíblico) e professe crer publicamente, se não creu realmente em seu coração essa pessoa não é membro do corpo de Cristo, não tem o Espírito de Cristo e não está salva.

O processo é o seguinte: considerando que somos incapazes de crer por nós mesmos (afinal, não há quem busque a Deus, não há nenhum sequer), é preciso que o Espírito de Deus faça uma obra em nós. Ele então enche essa pessoa da Sua Palavra (como os servos encheram os cântaros de água), e dá vida à pessoa através do novo nascimento (pois não é possível alguém espiritualmente morto entender ou crer, e ninguém nasce de vontade própria, mas da vontade de outra pessoa). Ao receber vida essa pessoa está apta para crer. Neste processo Deus irá operar nela também o arrependimento que vem de Deus, diferente do arrependimento de Caim ou Judas, que é o arrependimento que vem do homem.

Sim, você tem razão ao dizer que ao batizar uma criança isso não faz dela parte do corpo de Cristo. Porém você já não pode dizer que se trate de uma criança pagã. Ela traz agora sobre si o nome de Jesus, o que inclusive aumenta sua responsabilidade quando passar a ter entendimento. Infelizmente o mundo religioso associa o batismo à introdução de alguém na igreja ou corpo de Cristo por considerar “igreja” uma organização religiosa tipo denominação. O problema não está na definição de batismo, mas na definição do que é a Igreja, o corpo de Cristo, uma verdade praticamente perdida entre muitos cristãos.

É importante entender ainda que o batismo é algo essencialmente relacionado ao indivíduo. É inegável que existam diferentes opiniões quanto ao modo de batizar ou à idade do batizando, e são opiniões de pessoas sinceras que, de uma parte ou de outra, apontam razões bíblicas para essa ou aquela forma. Em momento algum isso devia ser motivo de divisão entre os cristãos, algo do tipo criar uma facção dos que batizam crianças e outra dos que batizam apenas adultos.

Por esta mesma razão não pretendo continuar este assunto com você, pois você tem suas próprias convicções sobre o assunto e não é meu papel aqui mudá-las. Como meu tempo é pouco, prefiro dedicá-lo àquelas pessoas que têm dúvidas sinceras sobre a salvação e outros assuntos que as afligem, do que debater opiniões. Tenho adotado o hábito de responder a perguntas, mas não de debater meramente pelo prazer do debate, naquilo que na Bíblia aparece como “contenda de palavras”.

Tt 3:9 Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.


Fp 3:15 Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também Deus lhes esclarecerá. 

Favor e merecimento, aproveitem essa chance que Deus nos concede, através da morte de cristo.

Em um mundo com tantas religiões e diferentes vozes falando o que pensam a respeito da salvação, você descobrirá que a maioria daqueles que se dizem cristãos acreditam mais em seus próprios esforços do que em Jesus e em sua obra na cruz.

Sua dificuldade está em saber como devemos andar depois de crer em Jesus como Senhor e Salvador. A resposta é clara na Palavra de Deus. Deus salva você com um propósito, e este é bem explicado aqui: servir e esperar.

1Ts 1:9-10 Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro, E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura.

Existe um claro contraste entre a vida que alguém levava antes e depois de ser salvo. Apenas Deus conhece os corações. Quanto a nós, só podemos “adivinhar” se alguém é salvo ou não pelo seu andar, que é ou não condizente com o que sua boca professa.

1Co 6:9-11 Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E tais fostes alguns de vós; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.

Mas veja que não é apenas de pecados escabrosos que o apóstolo está falando na passagem. Ele fala até mesmo das coisas consideradas lícitas, mas que podem servir de tropeço para a vida do cristão.

1Co 6:12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.

Você escreveu: Resumindo minha dúvida: é só crer em Jesus Cristo, e estamos salvos?

Vou mudar sua pergunta um pouquinho:

“É só crer em Jesus Cristo e no fato de ter deixado a glória para morrer como um criminoso em meu lugar?”

“É só crer em Jesus Cristo que morreu só e em trevas porque nem Deus podia ter comunhão com Ele enquanto sofria sob a carga de meus pecados?”

“É só crer em Jesus Cristo que teve seu lado rasgado pela lança do soldado, para que saíssem o sangue e a água da minha purificação?”

“É só crer em Jesus Cristo que pagou por todos e cada um de meus pecados, além de tirar de uma vez para sempre o pecado do mundo resolvendo a mancha que ameaçava a reputação de Deus?”

“É só crer em Jesus Cristo, a quem a morte não conseguiu reter e que ressuscitou como a primícia da nova criação?”

“É só crer em Jesus Cristo que disse ‘Está consumado’, revelando assim que nada mais precisava ser feito para resolver a questão do pecado?”

“É só crer em Jesus Cristo com a fé que vem de Deus e com a percepção de pecado e arrependimento que só podem ser consequência da vida que Deus nos dá através do novo nascimento?”

Com sua pergunta assim desdobrada, eu posso responder que sim, é “só” crer.

Você escreveu: Não precisamos mudar nosso andar nesse mundo?

Não se trata de precisar ou não mudar seu andar neste mundo: se você tem em si a vida que vem de Deus, você irá QUERER mudar sua vida aqui neste mundo. Mas mesmo assim acabará descobrindo que nem para isso terá PODER de si mesmo e precisará encontrar em Cristo a libertação da lei do pecado e da morte.

Rom 7:18-25 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor!

Você escreveu: Não precisamos mudar de vida, podemos continuar pecando e errando, seremos salvos de qualquer forma?

Se realmente se converteu a Cristo mas continua vivendo no pecado você será salvo, mas “como que pelo fogo”, isto se não for tirado prematuramente deste mundo por não servir como um testemunho de Deus aqui.

1Jo 5:16-18 Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte [aqui é morte natural, do corpo], orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore. Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.

1Co 3:12-15 E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo.

Você escreveu: se cremos em jesus Cristo, somos novas criaturas, e passamos a agir diferente, porque somos novas criaturas?

A diferença entre um salvo e um perdido não está em que o salvo não possa cair em pecado, mas em que ele tem a Quem recorrer e pode se levantar. Prv 24:16 Porque sete vezes cairá o justo, e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal.

A diferença entre uma ovelha e uma porca é que ambas podem cair na lama, mas a primeira sente-se mal e procura sair logo da lama, enquanto a porca gosta e prefere ficar por lá. Veja o que a Palavra fala de homens que obtém o conhecimento de Jesus Cristo (conhecimento intelectual apenas) e isso os leva até a se afastar dos vícios e pecados, até que um dia é revelado que nunca realmente creram em Jesus:

2Pe 2:20-22 Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama.

Você escreveu: Mas, se eu só crer em Jesus Cristo, porém continuar a fumar pedras de crack, ainda assim serei salvo?

Se você for realmente salvo, de sã consciência e ciente do amor que Jesus teve por você, nem irá considerar tal possibilidade, de continuar levando uma vida que desagrade seu Salvador.

Rom 8:15 Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.

Efs 1:5 E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,

Você ainda não entendeu a diferença entre um filho adotivo e um empregado. Um filho adotivo é aquele que passou a fazer parte da família do pai sem esforço algum de si próprio ou sem merecer isso. Ao ser adotado com direitos plenos, ele passa a ser herdeiro de tudo o que é de seu pai.

Um empregado é aquele que só espera receber algo se trabalhar. Ele precisa fazer para merecer. O filho adotivo nunca enxerga seu pai como seu devedor. Afinal, ele não fez nada para merecer sua adoção e a posição de filho, portanto tudo o que vem é de graça. Já o empregado, deu duro e quer receber o seu. O patrão é seu devedor.

Pessoas que creem na salvação por graça somente, por um favor imerecido, veem a Deus como um Pai amoroso que as tirou da sarjeta do pecado e da morte e as adotou com plenos direitos e regalias de um filho legítimo. Elas vivem gratas por isso, procurando agradá-Lo em tudo. Filhos trabalham para o Pai, não para receberem um salário, mas porque são filhos e já desfrutam de tudo o que pertence ao Pai. Não há limites para o que podem fazer para o Pai, mesmo porque não há uma relação de barganha, do tipo toma lá dá cá. Seu sentimento de gratidão

Por outro lado, pessoas que creem que acreditam que são salvas por obras ou por sua fidelidade, ou que só permanecerão salvas se viverem uma vida correta e religiosa, veem a Deus como um Patrão, que só pode exigir delas o que estiver no contrato e mediante o pagamento de uma recompensa. Elas vivem com um olho na recompensa e se desesperam quando veem as coisas darem erradas nesta vida. Aí concluem que, das duas uma: ou não estão se esforçando o suficiente, ou Deus é injusto e não as está recompensando como deveria. Em casos assim, algumas preferem até voltar a trabalhar para o antigo patrão.

Dízimo nos tempos de hoje

Dízimo

Antes de começar a ler o texto tenha em mente que é longo e deve ser conferido as referencias biblicas pois muita informação importante foi linkada de lá. E para constar não sou membro nem tenho qualquer vinculo com a Congregação Crista do Brasil (CCB).

Estou aqui para falar do dízimo, um assunto muito delicado e que muitos, porém senão em sua totalidade o entendem de forma errônea.

Estava conversando pelo MSN com o “Profeta” e mais um amigo meu sobre este assunto e debatíamos sobre a validade do dízimo nos tempos de hoje. Bem eles como sempre trazem milhares de versículos bíblicos comprovando que o dízimo é legal, que é algo instituído por Deus e outorgado por Jesus.

Enfim a minha opinião é que o dízimo é invalido e não procede para os tempos atuais, tanto os dízimos quanto as ofertas. Você pode ver pessoas falando que devemos retornar a 10ª parte de tudo que ganhamos ao Senhor, isso é MENTIRA. As pessoas devem antes de sair por ai utilizando versículos bíblicos, procurar entender o real significado deles para que não venham a se tornar o que diz o Salmo 32:9.

Vejamos um dos versículos clássicos usados pelos Pastores que se aproveitam de trechos da bíblia para extorquirem dinheiros dos fies:

Malaquias 3:8-10:
“Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, por que me roubais, vós a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança”.

É muito fácil criar uma doutrina bíblica se baseando em interpretações fora do contexto. Se agirmos desta forma sem analisar o conteúdo de forma global poderemos afirmar que basta que você seja salvo que toda a sua família também será, veja o que nós diz Paulo: “Crê (crê tu. Paulo não está dizendo creiam vocês. Ou crede vós) no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa”.

Pronto acho que minha irmã pode dormir mais feliz hoje sabendo que estou salvo e ela não precisará mais de orar por mim.

Sobre os versículos de Malaquias leiam desde o principio e verão que a mensagem não é pra mim nem pra você e sim para os Sacerdotes daquela época. Mesmo o trecho “vós a nação toda” (Mal. 3:9) é dirigida a eles. É uma hipérbole, uma figura de linguagem que Malaquias usou querendo dizer: “Tá todo mundo roubando”.
Entretanto, mesmo que toda a nação estivesse roubando a Deus, a responsabilidade ainda era dos sacerdotes conforme declarado no verso 8 do capítulo 2: “Mas vós vos desviastes do caminho, a muitos fizestes tropeçar na lei”.

Diante mão sabemos que assim como houve falsos profetas no meio do povo, hoje temos falsos mestres no meio da igreja, ensinando fabulas, costumes e leis que não puderam salvar aqueles que a receberam. Aqueles que citam Malaquias 3:10 para exigir o dízimo, e prometem prosperidade material, estão destorcendo a palavra de Deus. Eles estão enchendo os tesouros das igrejas ao desviarem a atenção de seus seguidores das coisas espirituais para darem atenção às posses materiais. Pedro advertiu sobre tais mestres: “Também, movidos pela avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2 Pedro 2:3).

Quero demonstrar às pessoas que temem estar “roubando a Deus”, quando não entregam na igreja 10% por já ganharem muito pouco, que o dízimo era recebido pelo pobre ao invés de cobrado dele. A Justiça era feita. Mas hoje o dízimo é entregue de forma religiosa e, por isso (e por Deus não ter ordenado ao cristão fazer isso), a Igreja está deixando de ser o diferencial na comunidade em que está inserida.

Agora que vimos que não podemos nos basear em versículos estudaremos os por vir com mais detalhes.

Acho que todos conhecem aqueles que falam que mesmo você ganhando um salário mínimo você deve devolver sua parte ao Senhor, primeiro os 10% foram instituídos em uma outra época, agora no momento em que estamos vivendo 10% de um salário tem muito mais peso que 10% na época de Moises, antigamente não se pagava Luz, Água, Telefone, Gás, Comida (praticamente você vivia do que se plantava), Escola, Passagem de Ônibus (quem tem carro ta pior: Gasolina, IPVA) bom acho melhor para porque essa lista não vai para de crescer.

Entende o que digo antes não tínhamos as mesmas obrigações financeiras que temos hoje, acho que 10% de um salário mínimo é muito para os dias atuais e tem gente que ainda da mais que 10%.

Retornar a parte do Senhor: ACORDA! o Senhor não precisa de seu dinheiro, se for dar o dízimo tenha consciência de que pelo menos estará dando para a Igreja (instituição) e não para Deus, isso é papo pra extorquir dinheiro de fiéis. Quer dar o seu dízimo doe 10% do seu tempo, o Senhor vai te valorizar muito mais, e não 10% do seu dinheiro como o seu pastor pediu.

Já presenciei outros dizerem que eles fazem a parte deles e que se o pastor ou alguém rouba o seu dizimo é problema dessa pessoa com Deus, não se engane a bíblia está repleta de passagens onde Deus pune o povo pois eles seguiam um “líder” que estava transgredindo, não acha que Deus vai lhe poupar porque você errou pois foi induzido pelo pastor, lembre-se de que você tem que fazer sua parte (Salmo 32:9).

Já vi muitos pastores parando o carro na porta da igreja, enquanto que os fieis chegam de bicicleta, todo sujo de lama porque tiveram que atravessar um lamaçal pra vir a igreja. Infelizmente o povo brasileiro é muito cego… Conheço uma igreja aqui perto onde moro onde os pastores colocam suas filhas em escolas particulares caríssimas, suas esposas e eles próprios só andam com roupas de grife, trocam de carro todo ano; seria esse o propósito do Senhor para os dízimos? (veja resposta logo abaixo) Será que é pra isso que o dízimo serve, enquanto o filho do fiel está na escola pública com chances muito menores de alcançar uma boa carreira o filho do pastor está cursando a melhor escola da cidade. E quem está pagando por isso é o fiel que dizima nos cultos.

Certa vez fui a um culto com um amigo e o pastor pedia dinheiro o tempo todo, dizia que se déssemos o dinheiro ao Senhor ele daria a nossa necessidade a verdade é que muitas igrejas evangélicas atualmente tem se tornado como a igreja católica foi na época da idade média (mais conhecida como idade das trevas) onde se podia comprar a salvação com terrenos, moedas, jóias isso são as famosas indulgências, se isso continuar no ritmo que está provavelmente logo-logo chegaremos novamente na nova idade das trevas.

Atos 4:32-35
32 ¶ E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
33 E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
34 Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos.
35 E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.

Tem muitos que dizem que o dízimo é para crescer a obra de Deus, esses que agem desta forma estão agindo de forma errada como mostra o versículo acima, o objetivo dos dízimos são para suprir os necessitados e não construir igrejas e templos monumentais, pense quando o seu pastor lhe falar sobre isso. Veja ao seu lado no banco da igreja quantas pessoas precisam de ajuda, quantos necessitados, veja como estão a vida daqueles que ficam a frente da igreja, veja se eles dividem TUDO o que possuem com quem precisa.

Na minha visão seria melhor que tivéssemos uma igreja bem estruturada onde todos se ajudassem mutuamente através dos dízimos, onde não houvesse necessitados do que 20 onde todos “devolvessem” o dízimo para construir mais 20 outras igrejas.

Você sabia que o dízimo foi cobrado pela igreja só depois de 500 anos da partida de Jesus?
Foi introduzido, embora com pouco êxito inicial, no Concílio local de Mâcon, no ano 585. Apenas uns duzentos anos após isso é que ganhou força, passando a ser considerado tributo obrigatório à Igreja Católica (por Carlos Magno, de 777 d.C). Portanto, para aceitarmos a prática do dízimo, principalmente com o grande desvio de finalidade como vemos hoje, teremos que desprezar o estudo da Bíblia e também a história da Igreja, incluindo os apóstolos e os líderes dos primeiros séculos da história do Cristianismo.

E um dos principais motivos de não darmos o dizimo é porque em nenhum momento na Bíblia fala-se de darmos o dizimo em dinheiro, e sim em alimentos, apenas algumas taxas no templo eram em dinheiro (Êxodo 30:14-16 e 38:24-31). O dizimo caro amigo, mesmo naquela época era apenas para pessoas do campo, apesar da bíblia mencionar outras profissões, como:

– Artesãos (Êxodo 31:3-5; 35:31-35; II Reis 16:10)
– Pescadores (Isaías 19:8, Jeremias 16:16; Ezequiel 47:10; Mateus 4:18: 13:48; Lucas 5:2)
– Mercadores (Génesis 23:16; 37:28; I Reis 10:15; Neemias 13:20; Mateus 13:45)

Entre outras… Esses ai não pagavam o dizimo, ou você já leu algum texto bíblico de algum deles comprando alimentos ou animais para entregar o dizimo, mostre-me se você encontrar algum. E outra, refresque a minha memória dizendo o que Jesus fez com os comerciantes na porta do templo…

Ofertas podiam ser trazidas em forma de dinheiro (II Reis 22:4-7) Mas, quando o assunto era dízimo, somente ovelhas, bois, grãos, comida. Dinheiro nunca!

Da uma lida nisso aqui:

“Todos os dízimos do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor, são santos ao Senhor. No tocante a todos os dízimos de vacas e ovelhas, de tudo que passar por debaixo da vara do pastor, o dízimo (O DÉCIMO) será santo ao Senhor. Não esquadrinhará entre o bom e o ruim, nem o substituirá. Se de algum modo o substituir, ambos serão santos, e não podem ser resgatados”. Levítico 27:30-32

E mais nobre amigo o dizimo não era para a igreja e sim para ser consumido pelos próprios dizimistas, veja o texto abaixo:

“Trareis a este lugar os vossos holocaustos e os vossos sacrifícios, os vossos dízimos e as vossas ofertas especiais, os vossos votos e as vossas ofertas voluntárias, e os primogênitos das vossas vacas e das vossas ovelhas. Ali comereis na presença do Senhor vosso Deus e vos alegrareis com as vossas famílias por todo o bem que vos abençoar o Senhor vosso Deus. Então, ao lugar que escolher o Senhor vosso Deus… para ali trareis…. vossos dízimos” Deuteronômio 12:6,7,11

O dizimo na Bíblia serve para três propósitos:

1 – Comida para o próprio dizimista
2 – Ajuda para os necessitados
3 – Alimento para sustentar os Levitas.

Nem todos os levitas eram sacerdotes. Alguns eram:

– Professores (Deut. 24:8; 33:10; II Cron 35:3; Neem. 8:7)

– Juízes (Deut 17:8-9; 21:5; 1Cron 23:4; 2Cron 19:8).

– Trabalhadores da Àrea de Saúde (Lev 13:2; 14:2; Lk 17:14).

– Cantores e Músicos (1Cron 25:1-31; 2Cron 5:12; 34:12)

– Escritores e Bibliotecários (1Cron 2:55; 2Chr 34:13)

– Arquitetos e Construtores (2Cron 34:8-13)

Os que defendem que o dízimo deve ser destinado apenas para o sustento dos pastores, os levitas modernos, deveriam incluir nesta lista outros trabalhadores da igreja: músicos, cantores, zeladores, construtores, diretores da escola sabatina, anciãos.

Jesus criticou os judeus hipócritas, que negligenciavam outros mandamentos divinos, enquanto zelosamente aplicavam a lei do dízimo (Mateus 23:23; Lucas 11:42; 18:9-14). Jesus não ensinou que a lei do dízimo seria uma parte de sua nova aliança, que entraria em vigor após sua morte.

O dízimo era para ser levado ao templo de Jerusalém, aos levitas e sacerdotes, que o guardariam na câmara do tesouro do templo. Esse valor seria então utilizado para a manutenção do templo de Jerusalém, dos levitas e dos sacerdotes. Os levitas eram responsáveis pelos serviços do templo e os sacerdotes atuavam como intermediários entre Deus e os homens.

Hoje não há mais um templo designado por Deus, apesar de existirem muitos “templos” criados por homens, alguns deles caricaturas do templo cuja construção Deus ordenou apenas uma vez. Uma vez destruído aquele único templo divinamente ordenado, qualquer tentativa de se construir outro não passa de vã presunção humana. Portanto, eu não poderia separar um valor para a manutenção do templo quando já não há templo para ser mantido.

Além do mais, no Novo Testamento fica bem claro que o templo que Deus agora reconhece são os salvos, coletiva e individualmente.

Como expliquei, por não existir mais um templo, uma classe de levitas e sacerdotes como os que havia no Antigo Testamento, seria impossível dar o dízimo e é por esta razão que tal prática não aparece na doutrina dos apóstolos dada à igreja nas epístolas.

O dízimo está inserido no contexto da lei. Eu estou convencido que nenhum dos Apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo ensinou que nós os gentios que nos convertemos a Deus devemos guardar as Leis de Moises.
Na carta escrita aos Gálatas, vemos como o Apostolo Paulo exorta Pedro por se comportar como se estivesse vivendo debaixo da Lei. Gl 2:14 Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?
15 Nós somos judeus por natureza, e não pecadores dentre os gentios.
16 Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.
17 Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma.
18 Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.
19 Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus.
20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
21 Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.
Não podemos também esquecer da assembléia que houve em Jerusalém, descrita em Atos 15, acerca deste mesmo assunto que debatemos agora, se o Cristão deve guardar a Lei. 19 Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus.
20 Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue.
21 Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas.
Veja bem não mandou dar o dizimo nem guardar o sábado, nem nenhum mandamento que Jesus nos 4 evangelhos mandou os judeus guardarem. A impressão que tenho é que as pessoas querem porque querem está debaixo da Lei, Não se importando com o ensino dos Apóstolos. Se alguém disser que obedece ao que Jesus ensinou nos 4 Evangelhos, deve lembrar que Ele mandou fazer o que os fariseus mandavam ( MT 23 :2 Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus.3 Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem) e ao leproso curado apresentar o sacrifício ao sacerdote( Lc 5:14 E ordenou-lhe que a ninguém o dissesse. Mas vai, disse, mostra-te ao sacerdote, e oferece, pela tua purificação, o que Moisés determinou, para que lhes sirva de testemunho).. E aí vocês estão fazendo isso? Que tristeza eu sinto, pois aqueles que deveriam honrar ao Senhor pela obediência aos seus mandamentos dados através dos Apóstolos o negam pela desobediência.

Enfim vou encerrar por aqui, isso foi apenas um aperitivo do que tenho em mente sobre o dízimo, afinal temos muitas coisas a falar a respeito, se você quiser saber algo mais ou tem alguma dúvida, ou precisa de alguma ajuda para dialogar com dizimistas fanáticos, post ai que nós podemos juntos propor idéias.

 

O que a Bíblia não diz, mais os crentes dizem que diz…

O que a Bíblia não diz.

 

Atos 17:11 – Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.

 

I Tessalonicenses 5:21 – Examinai tudo. Retende o bem.

Introdução.

Em tempos trabalhosos que estamos enfrentando no Reino de Cristo, é urgente a necessidade de nos tornarmos como os cristãos de Beréia: examinar o que temos ouvido, independente de quem tem pregado.

 

A síndrome de papagaio: repetir o que se escuta, há muito tempo dominou muitos púlpitos trazendo diversos ensinos errados e levando milhares de crentes a ensinarem o que as Escrituras nunca ensinaram, causando: dissenção, falsa esperança e promovendo as heresias.

 

Diante dessa realidade, refutaremos alguns chavões evangélicos e versículos interpretados de maneira errada por muitos pastores e pregadores.

 

A bíblia diz: Quem não vem pelo amor, vem pela dor!

 

Seria bíblico esta frase? Podemos afirmar como doutrina, como palavra de Deus, que o chavão acima vem do sopro de Deus? Seria correto afirmar que está escrito nas Escrituras?

 

Não. Não existe um versículo que prove tal chavão. Não podemos pegar experiências e torná-las em versículos. Muitos podem ter passado por momentos de “dor” por desobediência mais devemos saber que cada um é responsável pelos seus próprios atos.

 

No caso de Jonas e Paulo, onde muitos citam, não vemos nenhuma atuação de obrigação a seguir a Deus. Paulo se entregou ao chamado, não resistiu. Jonas reconheceu que o erro era dele, não resistiu. E é importante lembrar que existem pessoas que nem mesmo pela dor se arrependem, o livro do Apocalipse prova essa verdade.

 

Deus açoita, corrige e repreende aquele a quem ama, e fico satisfeito e feliz por isso, mais dizer que o chavão é bíblico, não é.

 

A bíblia diz: O cair é do homem e o levantar é de Deus!

 

Talvez seja o chavão mais comum usado diariamente entre os ímpios, os desviados e os crentes nas igrejas. E infelizmente por muitos líderes para “aliviar” o erro, a queda dos crentes.

 

Não há base bíblica e muito menos um versículo que prove esse chavão.

 

Para refutar esse erro basta lermos a parábola do filho pródigo, entendê-la e aplicá-la como está relatada por Cristo.

 

Mais precisamente no versículo 18 de Lucas 15, todo equívoco desse chavão é refutado: Lucas 15:18 – Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Quem decide abandonar a casa do Pai é o filho, e quem decide voltar para a casa do Pai é o filho, em tempo nenhum, com toda a tristeza do Pai, o filho foi levantado até que ele cai em si e volta para os braços do Pai.

 

Provérbios 24:16 – Porque sete vezes cairá o justo, e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal. É importante compreender que o versículo acima está para a condição dos justos, e não daqueles que se tornam injustos, e ainda assim, nada parecido com o chavão acima.

 

A bíblia diz: Não cai uma folha de uma árvore se Deus não permitir!

 

Que Deus tem o controle de todo o universo é inquestionável, afinal Ele é Deus Criador. Jesus mostrou seu poder sobre a natureza em seu ministério terreno ao repreender o vento, andar por cima das águas.

 

Mais dizer que este chavão é bíblica é mentira. Não encontramos em nenhum lugar das Escrituras, usá-lo como palavras próprias é uma coisa, outra é dizer que está escrito.

 

Veremos a seguir alguns versículos bíblicos, porém interpretados de maneira errada, causando muita confusão no meio cristão:

 

Analisaremos primeiro o Salmos 101. De onde se tiram várias interpretações erradas.
Leia versículo a versículo e identificará que Davi (autor do Salmos), se refere a si mesmo em consagração a Deus, e não a Pessoa de Deus falando.
Muitos usam os versículos de Davi de maneira interpretada errada. Faça a exegese com calma e verificará o que estamos dizendo.

 

Amós 3:3 – Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?

 

Todo este capítulo se refere à Deus e a seu povo (Israel), acerca dos avisos de Deus. Porém é interpretado para divórcios e outros assuntos sem contexto.

 

Mateus 10:30 – E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados.

 

Texto onde Cristo consola o coração dos discípulos quando enviados para a missão evangelística. Usado para usos e costumes de não cortar cabelo como uma proibição dada por Cristo.

 

I Crônicas 16:22 – Não toqueis os meus ungidos, e aos meus profetas não façais mal.

 

Muito usado para defender pastores e líderes, este versículo surgiu como um cântico de Davi quando a arca de Deus foi colocada na tenda e oferecido holocaustos a Deus como gratidão.

 

Os ungidos mencionados por Davi, foram aqueles que receberam aliança de Deus : Abraão, Isaque e Jacó.

 

O mesmo versículo é citado em Salmos 105.15, como menção do mesmo cântico.

 

Infelizmente, muitos leigos ficam preocupados quando expomos as más obras, os frutos maus dos falsos profetas como se tivessem “tocando” nos ungidos.
Conclusão.

 

Ainda há muitos outros erros doutrinários e chavões que surgirão, porém, compete a todos os cristãos ouvir de bom grado e conferir se realmente provém de Deus.

 

Sejamos abençoado por Deus!

Deus é amor, e não uma ameaça!

Não há um versículo bíblico que traz essa frase. Além disso é um conceito que não se identifica com a revelação divina. Deus é amor e não faz ninguém sofrer: a dor é expressão da ausência de amor. Às vezes certas pessoas usam tal afirmação pensando que todos devem aderir a Deus, mesmo que seja pela dor. A proposta de Deus é gratuita e nunca uma ameaça. Somos livres de aceitar a Deus ou não. Esse é o maior dom e, reconhecido, nos aproxima, sem dúvida, do divino.

1o dicas para identificar os profetas de Baal!

10 dicas: Como identificar um culto a Baal

Zé Luís

Se você é cristão, mas não tem por hábito ler aquilo que faz responder como tal, certamente pode achar que aqui vai invencionice de um editor de blog que é confuso já no nome.
Certa vez houve uma religião que veio contaminar a crença judaica, a única força de defesa em Israel, e o resultado disso foi o início da total bancarrota daquela nação. Embora vivamos numa sociedade que procura mostrar que Deus é um detalhe totalmente dispensável na grande maioria dos assuntos e setores, um cristão – por ser historicamente assim – nada contra a maré, e portanto, sua força está centrada no culto – agora – pessoal a Deus.
Como previsto pelo próprio livro dos cristãos, a atual multiplicação de conhecimentos do fim dos tempos acontece de uma forma jamais imaginada, trazendo insegurança e confusão sobre o que é e o que não é de Deus. Resolvi trazer algumas dicas sobre o procedimento de um culto a Baal, embora possa existir semelhanças no culto a Jesus. Talvez a tal religião citada não esteja tão extinta assim:
1º  Quanto mais, mais eficaz:
O lema de seus cultuadores é quantidade. 400 profetas, 300 sacerdotes, sumo sacerdotes e uma hierarquia infinita de pessoas e cargos. A intenção é mostrar aos seguidores que o tal deus terá que atender as requisições impostas, abrir as comportas do céu, sendo que no topo desta torre, deverá haver o suprassumo dos religiosos da entidade. Afinal de contas, são centenas de pessoas com o mesmo pensamento positivo, e deus fica sem saída, que não seja obedecer as petições, independente do que se requisite ou que propósito mesquinho vai atras daquele clamor. Para cristãos, 2 ou 3 são suficientes(e uma dessas “pessoas” pode ser a Terceira).
 
2º Baal que se preze, tem sua Jezabel:
Não confunda a personagem com o esteriótipo. “Jezabeis” podem ser homens, mulheres, ou até mesmo casais. Eles empesteiam as lideranças de seus templos com propostas das mais indecentes, em nome do crescimento da religião. Normalmente, correm por fora: gostam de ser o braço direito de líderes honestos, se predispondo a dar qualquer ajuda. Gradativamente, serão “elas” que estarão ditando regras na comunidade, com distorções que podem variar de acordo com sua vaidade. É comum vê-las perseguindo um ou outro dentro das comunidades, e usar seu status alcançado para fazer pesar a mão sobre o desavisado membro (que continua acreditando que está num culto cristão).
 
3º Melhor efeito quando misturado:
Cultos a Baal podem ser facilmente confundidos com cultos a Jeová, já que o princípio religioso é basicamente o mesmo:”Tenha fé!”, ”Adore ao Senhor!(tradução literal da palavra cananéia)”…
 
Eles usarão muitos versículos da bíblia. Tenha certeza disso! (você nem sabe quanto ama a Palavra. Por isso, eles misturam. Caso contrário, você não se interessaria)
 
A imposição de regras e promessas se confundirão gradativamente com a verdadeira vontade de Deus, já que Profetas de Baal proliferam melhor em ambientes onde o seguidor de Jeová é ralo em seu conhecimento nas Escrituras. Ele tende a apresentar “melhoras cultuais” como uma novidade que melhorara o que chama de “as chatas celebrações ao Eu Sou”.
 
4º  Baal exige sacrifícios físicos:
Mutilações, flagelos, ativismo, cansaço durante prolongadas horas de mantras e cânticos, fazem parte da adoração ao deus cananeu. Não espere que a presença de baal se faça, apesar de tamanho esforço – isso não acontecerá – por que sua fé nunca será suficiente para agradar aos seus caprichos. Ele, Baal, é misterioso e nunca parece estar satisfeito: Ora, manda o benefício, ora, retém, caprichosa e injustamente, sem jamais se dispor a explicar nada. Oras! Ele é um deus e não tem que dar satisfação a seus adoradores!
5º Baal é um deus sexual
Postes ídolos, ou baalins, são símbolos fálicos. Curto e grosso? são imensos postes em formato de pênis. Segundo a crença, esses postes fecundam Astaroth (Rainha dos Céus. Conhece o termo?) que enviam suas bençãos aos seus filhos.
 
Na época, numa sociedade agrícola, nada mais desejado para terra árida como o oriente médio do que chuva “fecundada” em abundância. Baal trazia essa promessa. Sua sacerdotisa, e rainha de Israel, cultuava o sexo como forma de adoração, e seu poder e persuasão estava baseado nisso. Templos a Baal tem a sexualidade como algo sagrado, valorizando-a, impondo regras confusas, castrando e impondo-a, questionando intimidades, ao contrário de um cristão, que sabe que pecados sexuais não são tão graves como, por exemplo, a soberba e a falta de perdão.
 
Baal valoriza mais o sexo, e os pecados éticos e morais são perfeitamente aceitos, o que nos leva a próxima dica…
6º  Valores morais podem ser ignorados se é para um bem maior.
Acabe certa vez foi convencido por sua rainha-sacerdotisa-prostituta que ela solucionaria o problema de um proprietário que se recusava em vender um terreno que estava interessado. Inventou uma mentira tão hedionda, que provocou a morte daquele homem, o que o rei teve como aceitável.
 
Nas igrejas de Baal é comum vermos membros “menores” sendo esmagados por lideranças caprichosas. É para isso que Jezabel está lá: Se existe uma necessidade dos que estão no topo da pirâmide, um membro de base pode ser enganado, extorquido, roubado e ignorado. Entre cristãos, até viúvas e orfãos tem o mesmo valor dos mais abastados.
 
7º  Baal se não é surdo, é mudo.
Religião que se preze não tem interação da parte do deus que é cultuado. Embora seja declarado como UM poderoso deus, pode ser considerado surdo, para não ser chamado de mudo. Caso contrário, é perverso, ou o mais óbvio: não está “lá”.
 
A grande diferença nas religiões é que o Deus cristão tem tanto prazer em interagir com sua criação que se fez homem, e sabe exatamente o que sentimos, dispensando o uso de grandes sacerdotes e profetas especializados. Baais e Astaroths não interagem, seus sacerdotes explicam que eles nos ouvem porque estão em silêncio, ensinam que não fazem por não terem a oferta certa, e quando a oferta é certa, sua fé foi pouca.
8º A relação é sempre mercenária:
Seu lema é bíblico: “dê, e deus te devolverá mui grande medida sacudida e transbordante” e está embasada em plantações para este mundo. Você cultiva 100 dólares e terá 200 dólares. Você investe X, e terá X+. Sempre. Você faz sacrifícios, paga sua prestação onde eles estabelecerão que será a “nova casa do tesouro”(usando a regra teocrática de impostos para a Israel de 2000 anos atrás, quando o templo de Jerusalém ainda existia) e terá em troca o seu bem tão aguardado.
É toma lá, dá cá: Ofertou, recebeu.
 
O Deus cristão, embora possa transformar uma pequena bolha de vapor em uma tempestade capaz de solucionar anos de seca, não fará o que Baal propõem. Ele não se compromete com os entendimentos pessoais nos quais os servos de Baal garantem que serão cumpridos como termos de um contrato.
 
Entenda: Deus poderia fazer – materialmente falando – 100 vezes mais do que qualquer homem pudesse inventar em um deus que distribui bens e riquezas. Mas só porque alguém inventou que Deus faz, Ele não se obriga a fazer, mesmo que Jezabel tente convencê-Lo que desta forma seria melhor. Ele não cede a tentações, mesmo que o diabo em pessoa surja em seu momento maior de fraqueza humana.
9º  Em Baal, não há arrependimento.
Arrependimento é coisa de cristão. Esqueça de esperar que um discípulo de Baal recue, mesmo quando você provar, comprovar e re-comprovar que ele está no erro. Mesmo após derrotá-lo, mostrando o poder do verdadeiro Deus, ele será capaz de ameaçar o mais fiel dos crentes(mesmo os que já viram Deus em pessoa) dizendo que não foi derrotado, e prometerá sua destruído. Duvida? Pergunte a Elias, o profeta…
10º  Divisão e omissão:
Como já foi dito, o sistema hierárquico religioso é ideia do deus cananeu, mas além de dar a ideia de “castas” superiores e inferiores, existe uma outra função excelente: Você pega um casal, irmãos, amigos e os coloca em funções diferentes, tornando um superior e o outro, inferior, destruindo gradativamente a relação destes pares.
 
Fica mais fácil para seus sacerdotes manipularem individualmente. Qualquer cristão sabe que uma pessoa não deve andar só, já que quedas imprevisíveis devem ser consideradas na nossa rota.
 
Sacerdotes de baal usam essas quedas como prova de inferioridade das castas. E aí você pergunta: O que fazer quando um “superior”(que nada mais do que um ser humano com qualidades e defeitos, iguais a todos os outros) vier a cair? Simples; omita a queda. Quanto mais alto for o cargo entre os baalins, mais segredos esse suprassumo terá (até que torne  um cínico, e acredite que sua posição proporciona que minta desta forma. Certamente, morrerá doente com doenças psicossomáticas).